Rua Varginha, 541, Colégio Batista, 31110-130, BH-MG(31) 3273-2020/

Blog

5 Dicas Para Economizar Após o Parto

Ter um filho é um grande gasto — qualquer pessoa sabe isso. Mas com um bom planejamento financeiro, é possível economizar após o parto. Essa atitude, aliás, é essencial para ter uma vida mais tranquila e poder aproveitar o momento. Também é dessa forma que você assegura todas as necessidades do seu bebê e da sua família. A questão é: como alcançar esse patamar e manter as finanças no azul?

A resposta está neste post. Aqui, apresentaremos 5 dicas para fazer bons negócios depois do parto e realmente economizar.

Então, que tal conferir as ideias de como economizar após o parto?

1. Troque as Fraldas Descartáveis Pelas Reutilizáveis

Todo bebê precisa de fraldas, às vezes até os 2 ou 3 anos de idade. Já pensou em quanto você gasta durante todo esse período? Para fazer um cálculo rápido, usamos a tabela de referência do site Tulipa Baby. Pela indicação, são utilizadas 4110 fraldas, em média.

Utilizando o valor médio de R$ 180 para um pacote com 120 unidades, temos que o gasto total é de R$6.165. Parece muito, certo? Então, por que não trocar por fraldas reutilizáveis? Além de serem mais baratas, elas são bonitas, práticas e podem ser usadas fora de casa. Esqueça aquele modelo antigo! A opção aqui é mais moderna e ecológica.

Você pode comprar, por exemplo, 10 fraldas de pano. Cada uma custa, em média, R$60. Isso dá R$600. Ou seja, uma economia de R$5.565.

Caso você não queira deixar de lado as descartáveis, tente comprar mais unidades e negocie o valor. Também evite comprar muitos pacotes antecipadamente porque o recém-nascido pode não se adaptar ou crescer muito rapidamente.

2. Encontre Alguém Para Ficar Com o Bebê

Durante os primeiros meses, a mãe fica em casa e cuida do filho. O que fazer quando a licença maternidade termina? O melhor para economizar após o parto é tentar encontrar um parente ou amigo de confiança que possa ajudar nesse processo, pelo menos temporariamente.

Se a escolinha, a babá ou a creche forem as únicas alternativas, o melhor é fazer as contas. Coloque os gastos na ponta do lápis e verifique a opção mais econômica. Lembre-se ainda dos gastos extras, como material, uniforme, transporte, lanches e por aí vai.

Caso o valor seja muito elevado, considere ficar em casa por um tempo e contribuir dessa forma. Outra possibilidade é alternar os horários de trabalho para que alguém sempre fique com a criança.

Por fim, verifique se sua empresa oferece convênio com escolas, auxílio-creche ou uma unidade própria. Esses benefícios estão previstos pela legislação no caso de empresas que têm mais de 30 colaboradores do sexo feminino.

3. Evite a Tentação e Compre Somente o Básico

Ir a uma loja de bebê é tentador. Tudo é lindo e queremos comprar todas as coisas. Mas é preciso cuidar para evitar comprar coisas desnecessárias, como o móbile, que será retirado em poucos meses. O ideal é adquirir somente o básico, como o carrinho, a cadeirinha para carro e o berço. Se alguém da família puder emprestar ou doar alguns itens, aproveite!

Outra possibilidade é comprar itens usados. Há várias opções na internet em bom estado. Apenas verifique se as condições estão realmente adequadas.

Por fim, tenha em mente sempre a eficiência, a durabilidade e o custo-benefício. Se algum produto não fornecer resultados positivos em um desses quesitos, deixe de comprar.

4. Economize Com as Roupas

As roupas de bebê são lindas, mas a criança cresce rapidamente e elas, muitas vezes, nem são usadas. Para economizar, o ideal é comprar peças mais simples e usar outras de amigos e parentes. Tenha apenas uma ou duas roupas para ocasiões especiais. Ainda assim, você deve pesquisar e pode procurar em brechós.

Outra dica é considerar a estação do ano em que o bebê vai nascer. Há listas diferentes de enxoval para o frio e para o calor — e essa é outra maneira de economizar dinheiro.

5. Amamente o Tempo Que Puder

Muitas crianças precisam ingerir fórmulas de leite em pó, seja porque os pais acham necessário, seja porque o pediatra considera útil. Em qualquer dos casos, o leite materno é geralmente melhor e traz muitas vantagens para o bebê.

Por isso, opte pela amamentação pelo máximo de tempo possível. Se for preciso adquirir a fórmula, tente comprar embalagens maiores, que costumam ser mais econômicas. Apenas tenha certeza de que o bebê já está acostumado com o produto para evitar desperdícios.

Além disso, observe o prazo de validade e compare o preço da embalagem maior com a menor para garantir que o valor compensa. Pesquisar em lojas online também é uma forma de economizar.

Viu como é fácil economizar após o parto? Basta seguir essas 5 dicas. Assim, você oferecerá o máximo para seu filho sem se preocupar com as finanças.

Ficou interessado nesse período pós-parto? Aproveite e veja 5 cuidados que toda mãe precisa ter nesse momento.

Além disso, você pode seguir a Pedilar nas redes sociais: Facebook, Instagram e LinkedIn.

Compartilhe este post